Review 1982 – Decepção de Piquet e a grande corrida de Watson

Depois da corrida maluca em Mônaco, o mundo da Fórmula 1 e 1982 viajou rumo a América do Norte, novamente, agora para o Grande Prêmio do Leste dos Estados Unidos, que foi realizado em Detroit. Mas, para a surpresa de todos, o circuito ainda não estava pronto para receber o evento, e o treino teve que ser cancelado.

Enquanto a organização do GP terimnava de ajeitar as áreas de escapes e as paredes de pneus, os pilotos se divertiam jogando futebol na reta dos boxes. O fim de semana em Detroit foi para o brasileiro Nelson Piquet esquecer. O carro que o brasileiro pilotava durante a qualificação teve uma falha elétrica, o obrigado a trocar seu Brabham-BMW Turbo pelo carro reserva da equipe, que era equipado com o motor Ford Cosworth DFV, o que não seria grande desvantagem, já que o circuito era do estilo de Mônaco.

Mas, uma chuva que caiu na segunda sessão da qualificação não deixou Piquet marcar um tempo decente, e com isso, ele acabou não conseguindo se classificar para a corrida. Seria essa a decepção de Piquet em Detroit, ou mais uma das decepções da temporada, que foi muito ruim para o brasileiro.

Passando da decepção para as posições do grid, Alain Prost fez mais uma pole position para a equipe francesa Renault, com o italiano Andrea de Cesaris, da Alfa Romeo, ao seu lado na primeira fila. Na segunda fila estavam o finlandês Keke Rosberg da Williams e o francês Didier Pironi, da Ferrari.

A terceira fila foi formada pelo surpreendente Manfred Winkelhock, da ATS e Bruno Giacomelli, da Alfa Romeo. Nigel Mansell e Elio de Angelis, ambos da Renault, se encontravam na quarta fila, e na quinta fila do grid, estavam a Ligier do americano Eddie Cheever e a McLaren do austríaco Niki Lauda.

John Watson, companheiro de Lauda na McLaren, era apenas décimo sétimo no grid. Na largada, Alain Prost manteve a ponta. No fundo do grid, Maurdi Baldi, da Arrows, bateu no March do brasileiro Raul Boesel e os dois abandonaram. Winkelhock, que foi a grande atração dos treinos, bateu nos muros de Detroit na segunda volta. La na frente, Andrea de Cesaris também abandona na segunda volta com problemas na transmissão de seu carro. Na sexta volta o colombiano Roberto Guerrero, da Ensign, ficou na primeira curva do circuito. Elio de Angelis e John Watson conseguiram desviar da Ensign, mas Patrese não teve a mesma sorte e bateu no carro de Guerreo, provocando a paralisação da corrida.

Pouco tempo depois, foi dada a re largada, e Prost saiu em primeiro, com Keke em segundo, Pironi em terceiro, Bruno Giacomelli em quarto e o americano Eddie Cheever em quinto. Alain Prost começava a se distanciar, mas seu carro começou a apresentar problemas e começou a ficar lento. O francês foi ultrapassado por Rosberg na volta 23, e depois por Pironi, Giacomelli e Cheever.

Watson, que havia largado apenas em décimo sétimo, era o grande destaque da prova, fazendo uma grande corrida de recuperação. Na volta 25, o irlandês estava em décimo terceiro, quando mais tarde deixou a Williams de Dereke Daly pra trás para ganhar a sétima posição.

O irlandês estava muito rápido na pista, e contando também com a eficácia dos pneus Michelin que equipavam seu carro. Watson se aproximou rapidamente ao grupo que estava nas primeiras posições. Ele passou Prost e Giacomelli, e já figurava na quinta posição, encostando nos pilotos que figuravam na segunda, terceira e quarta posições. Watson ultrapassa Lauda, Cheever e Pironi, e pula para segundo, indo a caça da Williams de Rosberg. Era uma apresentação de encher os olhos de todos os presentes no circuito.

Rosberg estava com 12 segundo de frente, mas Watson conseguiu reduzir logo a distancia que o separava da Williams do finlandês, até que na volta de número 37, Watson faz a ultrapassagem e assume a liderança da prova, abrindo vantagem aos poucos para todos os outros pilotos. Keke Rosberg ainda perde posições para o ‘herói da casa’, o americano Eddie Cheever, que fez uma boa corrida também, e para Didier Pironi da Ferrai.

Ao fim da prova, Watson recebe a merecida bandeirada da vitória após uma apresentação impecável em Detroit, com Cheever e Pironi ao seu lado no pódio. Keke Rosberg, Derek Daly e Jacques Laffite completaram as posições pontuáveis restantes. Depois dessa corrida, com uma apresentação individual de Watson de se encher os olhos, a Fórmula 1 se manteve ainda na América do Norte, mas agora irião para o Canadá, corrida que contarei as histórias no próximo post. Não percam!

Publicado em dezembro 6, 2010, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Excelente a retrospectiva até agora Daniel. Parabéns pelo bom trabalho e dedicação!

  2. Vale apena investir numa sessão desse jeito Daniel!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: